19 de dezembro de 2014 - Fonte: Wikipédia - Fotógrafo: Diversos

Fundação e Gentilico: 25/12/1952 - Panoramense
População: 14.603
Area: 353.137 Km quadrados 
Densidade: 41.35 Hab/Km quadrados
Altitude: 276 Metros
Clima: Tropical de Altitude
Imagens: Renato, Wikipédia, Google

Cidade de Panorama
 
O povoado de Panorama foi criado no município de Paulicéia, com terras desmembradas do distrito de Gracianópolis.

O projeto da extensão ferroviária da Cia. Paulista de Estrada de Ferro, foi o causador do desenvolvimento do município. Nascida do sonho de um dos maiores urbanistas brasileiros Prestes Maia, Panorama tem sua história iniciada no ano de 1946, quando Quintino de Almeida Maudonnet abriu aqui uma serraria.

O sr. Quintino de Almeida Maudonnet, empresário de tradicional família campineira, informado, em 1945, por amigos, que a Cia. Paulista de Estradas de Ferro tinha planos de estender os seus trilhos até a divisa do Estado de S.Paulo com Mato Grosso, decidiu formar uma sociedade para comprar a Fazenda São Marcos Evangelista com m/m 2.700 alqueires junto ao ribeirão das Marrecas, margeando o Rio Paraná, terras devolutas cuja posse era do Sr. José D´Incáo, farmacêutico em Presidente Wenceslau, Alta Sorocabana. Participaram da Imobiliária Panorama Ltda., constituída em 11-12-1945 : Quintino de Almeida Maudonnet, Quintino de Almeida Maudonnet Filho, Arthur Maudonnet, Júlio Revoredo, Aníbal de Andrade, José Ribeiro de Almeida, Guilherme Plichta, Guilherme Rehdder e, como consultor jurídico, Nelson Noronha Gustavo Filho. Aníbal de Andrade, amigo e oficial de gabinete do ex- Prefeito de S. Paulo, Dr. Prestes Maia, notável engenheiro-urbanista, convidou-o para visitar a região .

Encantado com o lugar, com o PANORAMA , com as belezas e potencialidades do rio Paraná, ele, o urbanista, se propôs planejar uma futura cidade, já que, Conselheiro da Cia Paulista de Estradas de Ferro, tinha conhecimento que aquele seria o ponto final dos trilhos.

A planta da cidade ficou pronta e foi apresentada, em Julho de 1946, pelo Dr. Prestes Maia, juntamente com extenso relatório, em uma reunião no Hotel Términus, em Campinas, com a presença de autoridades e pessoas da sociedade campineira que se maravilharam com a concepção da planta e com o resumo oral do relatório.

O nome do município deve-se aos belíssimos fins de tarde com o sol se pondo atrás do rio Paraná, cuja margem esquerda, num lugar conhecido por Porto das Marrecas.