05 de março de 2021 - Fonte: G1 - Fotógrafo: Reprodução/GloboNews
Variante brasileira do coronavírus
Foram coletadas 10 amostras para exames, realizados em São Paulo; destas, nove eram da variante conhecida como P1.

A secretária-adjunta da Saúde em Dracena (SP), Geni Pereira Lobo Pesin, confirmou à TV Fronteira, nesta sexta-feira (5), que o município registrou casos da variante brasileira da Covid-19.

Através de coleta feita na cidade pelo Laboratório São Lucas, as amostras foram enviadas à empresa Dasa, uma rede de laboratórios, em Barueri (SP). O resultado dos exames apontou que, das 10 amostras analisadas, apenas uma não é P.1. Esta cujo resultado não comprovou a cepa o exame informou que se trata de outras linhagens.

Os resultados chegaram ao município nesta quinta-feira (4).

A médica coordenadora da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinada ao atendimento de pacientes com Covid-19 na Santa Casa de Misericórdia de Dracena, Aline Damasceno, informou que a confirmação da P.1 na cidade muda completamente todo o esquema de trabalho no enfrentamento da pandemia.

"Hoje estaremos em reunião o dia todo para tratar sobre isso. Iremos entrar em contato com o Hospital Emílio Ribas, procurar uma alternativa, saber um pouco mais a respeito dessa cepa. O comportamento dos pacientes, a evolução da doença é totalmente diferente e muito mais agressiva, isso já havia nos assustado com a evolução dos nossos pacientes, requer um pouco mais de estudo e de cuidado da nossa parte. Vamos tentar gerar um novo plano de ação para poder atender esses pacientes mais precocemente para poder intervir e agora buscar informações para poder montar um protocolo de atendimento para isso. Todos nós estamos muitos cansados, é muito complicado ver tanta gente nova morrendo. Vamos precisar preparar a equipe para atender", afirmou a médica.

Ela disse que é uma cepa mais agressiva, tem uma facilidade maior de disseminação e uma letalidade maior pelo fato de ter mais facilidade de adentrar a célula humana.

"A princípio, ainda o melhor é o isolamento social e evitar pegar a doença", alertou Aline Damasceno.

No dia 23 de fevereiro, o prefeito de Dracena, André Kozan Lemos (PATRIOTA), autorizou a coleta de amostras para identificar se a variante brasileira do novo coronavírus, conhecida como P1, ou "variante de Manaus", já havia infectado algum morador do município.

O anúncio foi feito em uma live na rede social. Na ocasião, o chefe do Poder Executivo disse que não havia comprovação científica sobre a circulação da nova variante, mas que "indícios" mostravam essa possibilidade.

“Todos os indícios levam que a gente esteja já com essa cepa nova. Isso exige que a gente tenha redobrado os cuidados, principalmente os jovens, que andaram abusando, participando de festas clandestinas, nós tivemos o óbito de uma moça de 25 anos ontem, outra de 30 [anos] na semana passada, outra de 27. Todos os indícios levam que a gente esteja convivendo com a nova cepa. Além de tirar a vida de jovens, é um vírus que é mais rápido, evolui muito depressa. Quando a pessoa começa a ter falta de ar, ela já tem comprometimento pulmonar muito severo, e a gente não sabe qual vai ser o índice de sucesso do tratamento dessas pessoas”, frisou o chefe do Poder Executivo no dia 23 de fevereiro.

G1