10 de janeiro de 2019 - Fonte: Portal Regional - Fotógrafo: Portal Regional/Arquivo
A delegada Luciana Nunes Falcão Mendes lembra que qualquer pessoa poderá denunciar a violência telefonando para o número 180, tendo a sua identidade mantida em sigilo
Mesmo com a queda, 198 mulheres são vítimas de situações abusivas

O número de casos de violência contra mulher registrado pela Delegacia de Defesa da Mulher em Dracena diminuiu 21,43% no ano passado em relação ao ano de 2017.

Levantamento solicitado pelo Jornal Regional apontou 252 ocorrências em 2018 contra 198 ocorrências no ano passado.

Ainda de acordo com o levantamento, os tipos de violência contra a mulher mais praticados na cidade são: moral e física, nesta ordem.

A delegada Luciana Nunes Falcão Mendes, responsável pela DDM, orientou como as mulheres devem proceder sofrerem situações de abuso e/ou violência.

“Nas situações de violência física e/ou moral, deve a mulher se dirigir a delegacia de polícia mais próxima de sua casa para o registro do boletim de ocorrência. Caso não seja possível e se o agressor ainda se fizer presente, poderá ligar para a Polícia Militar através do número 190.

Se o agressor for surpreendido em flagrante pelos policiais militares e a voz de prisão for ratificada pelo Delegado de Polícia, ele será preso”, explicou.

Ela também ressaltou que qualquer pessoa poderá denunciar a violência telefonando para o número 180, tendo a sua identidade mantida em sigilo.

“É importante salientar que nenhuma denúncia será eficaz se não contar com a colaboração da mulher vítima de violência. É que muitos dos crimes exigem a sua representação ou queixa para que o agressor seja responsabilizado criminalmente”, pontuou.

Para a delegada, a sociedade deve ter a consciência de que quando uma mulher sofre violência doméstica, não é somente a vida dela a ser impactada, as consequências são tão fortes que chegam a afetar toda a família. “As crianças sofrem violência quando as mães sofrem violência.

Elas podem não apanhar, mas estão vendo as mães sofrerem. Muitas delas voltam a fazer xixi na cama, mesmo com 5 ou 6 anos, têm dificuldade de se desenvolverem na escola, se tornam agressivas, querem fugir de casa, iniciam o uso de drogas.

A lógica não é muito difícil de ser entendida. Se uma criança cresce num ambiente hostil, vendo, enquanto cresce, sua mãe ser violentada, assimilará esse tipo de comportamento e muito provavelmente será um adulto violento.

O ciclo não é interrompido, pelo contrário, ele continuará existindo, não só naquela casa, mas também em seu convívio na sociedade”, analisou.

As DDMs têm papel importante no combate a violência e na orientação, mas de acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, menos de 10% das cidades do país têm delegacias especializadas no atendimento a mulheres.

Em Dracena, a unidade está localizada na Rua Tomé de Souza n. 501. O telefone é 3821-4240.

Portal Regional